Menu
RSS


«Snowden» por Paulo Portugal

Oliver Stone continua a reivindicar para si o papel de paladino da verdade política, de feroz opositor do cavalgante capitalismo e defensor da liberdade americana. Em face da concretização da ameaça do Big Brother de Orwell, materializada na divulgação por Edward Snowden, em 2013, dos programas de vigilância da NSA, o filme Snowden colhe alguns dividendos. Ainda que sinta dificuldade em apresentar algo de novo, em polemizar de uma forma que supere o mero lobby político. Infelizmente, Stone fica-se apenas pela ideia da criação de um novo herói americano um pouco à semelhança de JFK. Embora sem a mesma espessura.

Oxalá Snowden fosse um documentário, onde Oliver se tem mostrado bem mais certeiro. Veja-se, por exemplo o que fez na sua magnífica (e explosiva!) série The Untold Truth of the United States. Só que no campo na ficção a imitar a realidade Stone não averba os mesmos kudos. Razão pela qual Snowden aparecia à partida como potencial candidato à reviravolta. Digamos que se fica pelas meias-tintas: por um lado, recria com eficácia a personagem americana provavelmente mais marcante deste século XXI, em parte graças à tremenda composição de Joseph Gordon-Lewitt no ex-consultor da NSA, mas acrescenta pouco ao que já viramos no pungente documentário de Laura Poitras, Citizenfour.

Temos mesmo de voltar a Citizenfour para falar de Snowden. É que este filme acaba por ser uma espécie de dramatização, uma espécie de making off, do documentário de Poitras. Ainda que concretizado com a eficácia habitual de Stone. Nesse sentido, a parte mais relevante do filme acaba mesmo por ser a dramatização da entrevista que Snowden dá a Glenn Greenwald e Ewen MacAskill, em Hong Kong, e captada pela câmara Laura Poitras, com Gordon-Levitt, Zachary Quinto, Tom Wilkinson e Melissa Leo a revelarem-se escolhas perfeitas nessas personagens.

É claro que Oliver Stone recria o período de formação militar de Snowden e a sua complexa relação com a namorada Lindsay Mills, na muito competente Shailene Woodley, a conferir um outro sabor ao filme. Só que por aí também não saímos do lado biográfico que reconhecemos nos rigorosos trabalhos anteriores (W.Nixon JFK). Pelo meio percebe-se ainda o contacto com o sistema PRISM que permitiria o acesso indiscriminado a informação pessoal de uma forma global e a sua decisão em publicar esses dados. Algo que serve apenas para ligar o lado biográfico ao sumo que é a tal entrevista em Hong Kong antes de do exílio forçado na Rússia.

Por detrás deste véu de recriação documental temos então o tal thriller que aposta na chamada de atenção sobre o perigo da vigilância global. O ponto de vista está absorvido. Pena é que o filme sofra com esta distância no tempo e nos devolva insuficiente informação do que este conceito mais ou menos abstrato, ainda que preocupante e real. E, sim, claro que chega em plena altura de campanha eleitoral em que se definem os destinos da nação americana. A esse respeito não deixa de ser curiosa a inclusão no filme da condenação (obviamente necessária) de Hillary Clinton sobre essa fuga de informação, bem como o pedido de pena de morte pelo truculento Trump. Mais curiosa é a posição de Bernie Sanders, não incluída no filme, a pedir clemência para Snowden. 

Paulo Portugal



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos