Menu
RSS


Próximo filme de Woody Allen será filmado em Espanha

Depois de Vicky Cristina Barcelona em 2008, Woody Allen vai voltar a colaborar com a espanhola Mediapro para desenvolver o seu próximo filme, o qual deverá ser filmado em Espanha.

"O projeto ainda está nos estágios iniciais e é muito cedo para falar sobre locais ou outros detalhes", disse um responsável da Mediapro.

De acordo com o jornal espanhol El Pais, Allen tem procurado locais no País Basco para as filmagens, não existindo ainda qualquer detalhe sobre o nome do projeto, o elenco ou o seu tema.

Recorde-se que no ano passado, atores espanhóis como Javier Bardem e Penélope Cruz deixaram no ar a hipótese de voltar a trabalhar com Woody Allen, com o primeiro a dizer na 10ª edição do Festival Lumière: "Entendo que o movimento #metoo, youtoo e todas essas coisas estão a levar alguns atores a mostrarem arrependimento publicamente de terem trabalhado com Woody Allen. Se eu pudesse voltar a trabalhar com ele, fá-lo-ia de novo amanhã de manhã, porque os dois estados dos EUA que se pronunciaram sobre as acusações que pesam sobre ele, ilibaram-no. Devemos ter muito cuidado com as acusações públicas, o linchamento nos Media. Se um dia um juiz condenar Woody Allen, mudaria a minha posição, mas até hoje ele foi considerado inocente. ".

Já Penélope Cruz, numa entrevista ao jornal Le Parisien, afirmou sobre o tema Woody Allen que "é necessário garantir a presunção de inocência e o bom funcionamento da justiça (...) Ninguém deve ocupar o lugar dela [justiça]: nem os jornalistas nem os atores".

A dupla foi assim de encontro às palavras de Alec Baldwin, um dos poucos aliados de Allen nos tempos que correm.

Último filme de Allen ainda inédito

"Engavetado" pela Amazon após o ressurgimento das acusações de abuso sexual contra Allen por parte de Dylan Farrow, A Rainy Day in New York continua sem qualquer data de estreia. 

Por isso mesmo, Woody Allen entrou com um processo judicial contra a Amazon Studios, alegando que a plataforma de streaming desistiu de um acordo de quatro filmes que tinha com o cineasta devido a "uma alegação infundada com 25 anos". A Amazon tentou desculpar a sua ação referindo uma alegação infundada contra Allen com 25 anos, mas essas alegações já eram bem conhecidas da Amazon (e do público) antes da empresa celebrar quatro acordos separados com o Sr. Allen", diz o processo:  "Simplesmente não há uma base legítima para a Amazon renegar as suas promessas". 

Ainda de acordo com o processo, os executivos da Amazon, Jason Ropell e Matt Newman, reuniram-se com os representantes de Allen em dezembro de 2017. Eles citaram os danos à reputação que a Amazon sofreu devido à sua associação com Harvey Weinstein e as alegações de má conduta contra o ex-presidente da Amazon Studios, Roy Price.

Em janeiro de 2018, o advogado da Amazon, Ajay Patel, propôs adiar o lançamento de A Rainy Day in New York para 2019, o que Allen aceitou. Chegamos então a junho de 2018, quando a Amazon decidiu rescindir o acordo de quatro filmes, tendo ainda afirmado que não tinha a intenção de distribuir nenhum dos filmes do cineasta. Inicialmente, Patel não forneceu uma razão para terminar o negócio, mas posteriormente, os representantes da Amazon declararam que estavam a cancelar o acordo devido a “eventos supervenientes, incluindo a renovação das alegações contra Allen, os comentários controversos do cineasta e a crescente recusa de grandes talentos em trabalhar ou de estarem associados a ele de qualquer forma". No total, Allen exige assim da Amazon o pagamento de 68 milhões de dólares (60 milhões de euros). 



Deixe um comentário

voltar ao topo

Contactos

Quem Somos

Segue-nos