Nova derrota para Paulo Branco: CNC emite visto de exibição em França para "O Homem Que Matou Dom Quixote" - C7nema
Menu
RSS

 



Nova derrota para Paulo Branco: CNC emite visto de exibição em França para "O Homem Que Matou Dom Quixote"

Depois de ontem o tribunal de Paris ter indeferido o pedido do produtor Paulo Branco de impedir que o Festival de Cannes exibisse "O Homem Que Matou Dom Quixote", de Terry Gilliam, a Télérama avança que o Conselho de Classificação do CNC (Centre national du cinéma et de l'image animée) emitiu o visto de exibição para a obra, uma autorização administrativa necessária para que qualquer filme seja exibido nos cinemas gauleses, independentemente da sua origem. Ontem, em Cannes, Paulo Branco afirmou que "O filme não podia ter o visto de exibição e não poderia ser lançado nos cinemas".

Com esta decisão, o filme poderá assim chegar aos cinemas franceses já no próximo dia 19 de maio, logo após a exibição em Cannes. "A decisão do juiz ontem confirmou que seria desproporcional impedir a divulgação da obra", afirmou o CNC em comunicado. O visto de exploração cinematográfica "deve ser solicitado pelo produtor do filme, ou seja, aquele que assume a responsabilidade pelo financiamento e pela realização do trabalho. A Kinology, com coprodutores espanhóis, portugueses e belgas, produziu o filme e é o único que solicitou o visto de exploração. "

Voltando à decisão do tribunal ontem, o Festival de Cannes emitiu hoje um comunicado sobre o assunto. Nele pode ler-se: "As coisas estão a melhorar o filme de Terry Gilliam, O Homem que Matou Dom Quixote. Ontem, quarta-feira 9 maio de 2018, o tribunal francês indeferiu o pedido de Paulo Branco e da sua produtora Alfama Films Production de proibir que o filme fosse exibido durante a noite de encerramento do Festival de Cannes, no sábado 19 de maio. 

Como tal, Paulo Branco e a sua produtora Alfama Films Production viram, naturalmente, o pedido de indemnização do Festival de Cannes negado, denegrindo abertamente o evento na imprensa e nas redes sociais, afirmando que os seus organizadores não tinham o direito de selecionar O Homem Que Matou Dom Quixote para ser apresentado em Cannes.

A campanha de tentativa de intimidação orquestrada por Paulo Branco e do seu filho advogado foi, portanto, infrutífera. O juiz confirmou que, contrariamente ao que os Branco continuaram a reivindicar (entre outros ataques caluniosos e mentiras), o Festival de Cannes nunca se colocou acima da lei nem tentou forçar uma decisão. 

O Festival de Cannes, que em todo o caso repetidamente expressou a sua lealdade e apoio aos criadores, tem o prazer de ver que a justiça permitirá a apresentação deste trabalho, cujo diretor certamente merece vê-lo finalmente apresentado ao público.

Estamos muito satisfeitos que este trabalho único - e de certa forma agonizante - na carreira do grande diretor Terry Gilliam seja apresentado pela primeira vez a jornalistas, festivaleiros e profissionais de todo o mundo, reunidos no Grand Amphithéâtre Lumière.

Desde terça-feira, o cinema recuperou os seus direitos. O Festival é um fórum único para a liberdade de expressão. Permanecerá assim." 

Com Jonathan Pryce, Adam Driver, Olga Kurylenko, Joana Ribeiro e Stellan Skarsgard no elenco, O Homem Que Matou Dom Quixote acompanha um homem arrogante que retorna à aldeia onde filmou a sua adaptação cinematográfica de Don Quixote. Quando ele chega ao local, descobre o terrível efeito que o seu projeto estudantil teve na cidade, levando-o numa aventura improvável.



Deixe um comentário

voltar ao topo

Contactos

Quem Somos

Segue-nos