Menu
RSS

 



O mais «azarado» dos nomeados ganhou finalmente um Oscar

Muitas vezes falamos de personalidades ligadas ao cinema que, apesar de várias nomeações, nunca conquistaram o prémio mais apetecido de Hollywood. Basta lembrar Kate Winslet, que só à sexta indicação foi consagrada pelos seus pares. Ou então Leonardo DiCaprio, que só à quinta vez lá ganhou. Porém, esqueçam estes dois nomes e pensem em Kevin O'Connell, um homem que já tinha sido nomeado 20 vezes pelo seu trabalho na mistura de som de diversos filmes e que só ontem, finalmente, conquistou a sua primeira estatueta. O facto de tantas vezes ter sido nomeado e tantas vezes ter perdido, levou mesmo o The Guardian a apelida-lo do candidato aos Oscars mais "azarado de sempre".

Depois de finalmente ganhar o Oscar pelo seu trabalho em Hacksaw Ridge - ao lado de Andy Wright, Robert Mackenzie e Peter Grace, - O'Connell disse: "foi a melhor sensação de toda a minha vida e estou tão grato pela oportunidade que tive...».

Este prémio levou também a que O'Connell não compartilhe o recorde de Victor Young de indicações aos Oscares sem uma vitória. Young recebeu cerca de 22 nomeações pelo seu trabalho, chegando a ter 4 indicações na mesma edição, mas nunca ganhou um Oscar enquanto estava vivo. Ele viria a ganhar um Oscar póstumo pela banda-sonora de A Volta ao Mundo em 80 Dias (1956).

Recorde-se que O'Connell teve o seu primeiro trabalho no cinema em O Império Contra-Ataca (1980) e foi nomeado pela primeira vez por Laços de Ternura (1983). Dune, Top Gun, Pearl Harbour e Transformers foram outros filmes que lhe valeram nomeações aos Oscars.



Deixe um comentário

voltar ao topo

Contactos

Quem Somos

Segue-nos