Menu
RSS

 



10 Curtas-Metragens a não perder no IndieLisboa

Dos festivais da capital o IndieLisboa é aquele que mais investe nas curtas-metragens: elas permeiam algumas das seções mais importantes (competições, Silvestre, Boca do Inferno, Herói Independente) e o C7nema pediu a um dos programadores/diretores do IndieLisboa, Carlos Ramos, que escolhesse dez curtas-metragens que considerasse imperdíveis. O certame decorre entre 26 de abril e 6 de maio, tendo como principais espaços a Culturgest, o cinema São Jorge e a Cinemateca Portuguesa

 

DÉJALO SER (México – Competição Internacional)

O filme de Txema Novelo inspira-se no mito de que os Beatles terão passado pela Sierra Mazatec, em Oaxaca no México, à procura de Maria Sabina e dos seus cogumelos mágicos. E que desse encontro nasceu a música “Let It Be”. “É um “road movie” frenético, divertido e de uma energia contagiante de um realizador que é uma descoberta, mas ao mesmo tempo uma aposta segura para os próximos anos”, acredita.

 

AMOR, AVENIDAS NOVAS (Portugal – Competição Internacional e Competição Nacional)

Estreia no IndieLisboa poucas semanas antes da ida para a Semana da Crítica em Cannes essa obra de Duarte Coimbra. O filme é uma fábula sobre o romantismo que segue as aventuras de Manel – que atravessa a cidade de Lisboa com um colchão às costas. Segundo Ramos, “é uma aposta do IndieLisboa na sua missão de lançar novos nomes no cinema português, naquele que é o único filme português que integra também a competição internacional e saiu diretamente da Escola Superior de Teatro e Cinema”.

 

GROS CHAGRIN (França – Competição Internacional)

“Gros Chagrin” traz uma incursão no universo da animação. “Acompanhamos e apostamos em Céline Devaux desde o seu primeiro filme Vie et mort de l'illustre Grigori Efimovitch Raspoutine, quando ainda ninguém a conhecia. O segundo filme Le Repas Dominical ganhou o César de melhor animação em 2016. É com prazer que vemos Céline dar um novo passo e arriscar um filme em que mistura animação com imagem real. Uma proposta arriscada que a realizadora passa com distinção num filme belo e caótico sobre uma separação”.

 

SOLAR WALK  (Dinamarca – Competição Internacional)

Mais uma animação, neste caso da dinamarquesa Réka Bucsi, que ganhou com esta animação o Audi Award, um dos principais prémios no último festival de cinema de Berlim. “É mais um caso de uma realizadora que acompanhamos e mostramos no festival desde o seu primeiro filme. Bucsi Há um mundo maravilhoso na cabeça e nas mãos de Réka Bucsi”. O filme apresenta uma viagem cósmica grandiosa, num universo feito de seres e formas estranhas e coloridas.

 

THE MEN BEHIND THE WALL (Israel - Competição Internacional)

Urso de Ouro no último Festival de Berlim, este documentário israelita de Inés Moldavsky é uma provocadora investigação feita a partir do Tinder, em que uma realizadora do país procura encontrar-se com homens palestinianos. Segundo Ramos, trata-se de “uma reflexão sobre fronteiras físicas e virtuais feita de forma corajosa e uma diferente e inovadora abordagem ao conflito israelo-palestiniano”.

 

SNOW WHITE (Alemanha - Competição Internacional)

Já “Snow White” é “uma inteligente e curiosa investigação e reflexão sobre as ligações escondidas e subtis entre o conto de fadas da Branca de Neve, a morte de ditadores e o embalsamento dos seus corpos, a mumificação no Egipto, os relicários religiosos e os animais presentes nos museus de História Natural. Um filme que é um desafio e um prazer assistir e em que ficamos a pensar como é que nunca nos lembrámos disto”. A realização é de Thadeusz Tischbein.

 

BRAGUINO (França – Competição Silvestre)

Um filme de fundo sobre uma família que vive em quase pleno isolamento num local remoto da Sibéria em perfeita comunhão com a natureza. Quase pleno porque os únicos vizinhos são uma outra família a viver também neste local remoto, mas cujo objetivo e ambição está muito mais virada para o negócio. “Um filme forte e tenso, mas ao mesmo tempo terno, sobre uma comunidade em que as únicas duas famílias se detestam. Clement Cogitore é um dos nomes mais sólidos do novo documentário francês”.

 

A BRIEF SPARK BOOKENDED BY DARKNESS (Estados Unidos - Competição Silvestre)

Outra animação – também a entusiasmar o programador do IndieLisboa. “O prazer de programar um festival de cinema é descobrirmos de tempos a tempos um filme que nos desarma completamente. O novo filme de Brent Green é uma pequena preciosidade sobre o amor como cura das doenças do mundo. Uma união perfeita entre música, animação, palavras e ritmo”.

 

HARD WAY – THA ACTION MUSICAL  (Alemanha – Boca do Inferno)

A secção da Boca do Inferno é isto: sangue, sexo e filmes ‘trash’” – diz Carlos Ramos para justificar o destaque a este musical “gore” de Daniel Vogelman em que a única regra é não poder matar ninguém enquanto alguém canta. Assim, uma equipa S.W.A.T. a cantar e dançar durante uma operação contra- terrorista…

 

INSTRUÇÕES PARA UMA REVOLUÇÃO (Portugal – Competição Nacional)

Tiago Rosa-Rosso realiza esta adaptação livre da obra literária “O Torcicologologista, Excelência”, de Gonçalo M. Tavares e que recupera em filme toda a musicalidade e ritmo do texto. Por outras palavras, são instruções para uma revolução através de passos de dança e de associações livres de palavras. Terceira incursão de Rosa-Rosso na competição nacional depois de Despedida e Lei da Gravidade.



Deixe um comentário

voltar ao topo

Contactos

Quem Somos

Segue-nos