Menu
RSS

 



7ª Mostra de Cinema da América Latina arranca sob "infinita poesia"

Adivinha-se um início poético com a apresentação do novo filme de Alejandro Jodorwosky, Poesia sin Fin, que esteve presente na última Quinzena dos Realizadores de Cannes. A projeção da obra contará com a presença de Xavier Guerrero, o produtor do filme, estando na vez do realizador, que infelizmente, por motivos de saúde, não pode viajar até Lisboa.

Contando com uma carreira enigmática e igualmente brilhante, Jodorowsky é considerado um dos grandes poetas visuais do cinema contemporâneo, tendo dado nas vistas na violenta viagem em The Holy Mountain (A Montanha Sagrada, 1973), onde metaforiza os massacres ocorridos no Chile em 11 de setembro. Mas três anos antes, tinha surgido El Topo, protagonizado pelo realizador e do seu filho (Brontis), um western alucinogénico, onde dois misteriosos indivíduos dão de caras com bizarras personagens.

Quanto a Poesia Sin Fin, descrito como uma espécie de continuação do seu penúltimo trabalho - The Dance of Reality - remete-nos à juventude do próprio realizador, destinado a seguir um percurso de poesia. O filme conta ainda com os desempenhos de Adan e Brontis Jodorowsky, os filhos do cineasta.

A 7ª Mostra do Cinema da América Latina prolongará até dia 11 de dezembro, no Cinema São Jorge, com a apresentação de obras inéditas no nosso país, como Sopladora de Hojas, vencedor dos Prémios de Melhor Argumento e de Júri no Festival de Cinema de Torino. Trata-se da primeira longa-metragem do mexicano Alejandro Iglesias Mendizabal, uma road trip de três jovens com uma particular missão - encontrar um molho de chaves perdidas num monte de folhas secas.

Destaque ainda para Omega 3, a primeira longa-metragem de ficção cientifica cubana. Dirigido por Eduardo del Llano, o filme remete-nos a um confronto futurista entre vegetarianos e macrobióticos no controlo de uma hierarquia alimentar.

E ainda, as reposições de Truman, de Cesc Gay, vencedor de 5 Goyas (prémios da Academia de Cinema espanhola), incluindo o de Melhor Filme, e da co-produção luso-brasileira, Estive em Lisboa e Lembrei de Você.

Para mais informação sobre o evento e a sua respetiva programação, ver aqui 

 



Deixe um comentário

voltar ao topo

Contactos

Quem Somos

Segue-nos