Menu
RSS


Cannes (dia 9 e 10): do falhanço de Sean Penn ao surpreendente «Aquarius»

 

A extravagância da critica num dos melhores filmes brasileiros desde Elena, de Petra Costa. Mesmo que não ganhe a tão cobiçada Palma de Ouro, Aquarius já é um vencedor, um filme assombroso que opera sobre metáforas visuais, tecendo uma crítica subversiva à corrupção brasileira. A intriga remete-nos à conceituada jornalista Clara (Sónia Braga), a única residente do edifício Aquarius, visto que os outros habitantes foram a aliciados e persuadidos a sair por uma ambiciosa construtora, com misteriosos planos para o prédio. O aquário do titulo funciona como abuso a esta sociedade cada vez mais debatida, a situação atual sócio-politica brasileira é ponto de reflexão, antes, durante e depois do visionamento. A atriz Sónia Braga é a mais justa candidata ao prémio de melhor interpretação feminina.

Mas a surpresa não se ficou com Aquarius, de Kleber Mendonça Filho, o realizador filipino, Brillante Mendoza, supera o seu deslize do ano passado, Taklub, com este retrato social Ma'Rosa. Tal como seu oponente brasileiro, Ma'Rosa aborda uma sociedade corrompida, mas metáforas são deixadas de fora, porque é o realismo, o cinema verité manchado com o neo-realismo que transporta o filme a um argumento mais direto e provocador. Uma Manila que tão bem poderia-se comparar com Sodoma e Gomorra, as duas bíblicas cidades gémeas ligados aos pecados mortais.

Quanto à nova obra dos irmãos Dardenne, La Fille Inconnue, a surpresa é algo que não mora aqui. A dupla de realizadores continuam o seu retrato de mulheres frágeis, mas essa mesma fragilidade que lhes adquire uma força, longe o arquétipo heróico de Hollywood. O registo continua despido de qualquer brilho tecnicamente cinematográfico, tudo é filmado a cru e umbilicalmente ligado ao realismo formal. Adèle Haenel opera como o combustível dessa jornada cívica.

Já Cristian Mungiu, o realizador romano consagrado com a Palma de Ouro por 4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias, continua com o seu cinema frio e ético com Graduation (Bacalaureat). Um filme que coloca o espectador na posição de juiz, julgando as personagens e os seus atos, a interpretação da paternidade, como uma responsabilidade acima de qualquer outra. Um dever que desafiará as próprias convenções morais.

Quanto ao momento "que é isto?", temos o muito antecipado The Neon Demon, de Nicolas Winding Refn, um dinamarquês da escola de Lars Von Trier que tem igualado na repudia geral da imprensa. Uma analise ultra-estilizada e puramente visual de uma sociedade que julga pelos parâmetros de beleza centrando numa aspirante a modelo, Jesse (Elle Fanning), a típica rapariga do vilarejo que chega a Los Angeles em busca de um sonho. Porém, esta nossa "menina" tem algo de especial, um toque irresistível que desperta paixões, obsessões e ciume. Nicolas Winding Refn influencia-se em Mario Bava e Brian De Palma para a temática e estética desta pseudo-obra de terror, mas no seu córtex está tendências do expressionismo alemão, onde as luzes neons são as novas sombras e a imagem da femme fatale é aqui revisada. Contudo, este é o mais egocêntrico dos filmes de Refn, ou diria antes, uma rodagem centrada no seu umbigo com momentos de risibilidade involuntária. No final vieram os apupos e os corredores foram ditados pela controvérsia e a diversidade de opiniões.

Mais consensual, e com direito aos seus apupos, está The Last Face, a nova longa-metragem de Sean Penn, que evidencia ser o grande equivoco da Competição. Por mais que bem intencionado seja, este é uma pura iluminação da consciência branca, novamente citado por um ativismo politico de ingenuidade. Um romance entre os Médicos sem Fronteiras, imagens manipuladoras de massacres e "criancinhas" de forma a forçar uma sensibilização no espectador, diálogos péssimos (a audiência ria e aplaudida quando surgia uma péssima fala) e atores encalhados em "bonecos" unidimensionais. O que Sean Penn mostrou, foi um colonialismo, como África continua-se a ser um palco de romances indescritíveis, o pior é o racismo que este tipo de tratamentos pode trazer, deixando o nativos do Continente como meros danos colaterais, sem voz e sem alma. Certamente o pior do Festival.

Na próxima crónica, falaremos sobre a desilusão que foi Xavier Dolan, o regresso de Nicolas Cage à boa forma e os prognósticos de Elle, do holandês Paul Verhoeven.



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos