Menu
RSS


«Cherchez la femme» (Há quem prefira as de véu) por Aníbal Santiago

 

Comédia de enganos e de costumes que se envolve por temáticas relacionadas com o fundamentalismo islâmico, o travestismo, os amores impossíveis e efetua comentários de foro social com enorme acidez, Cherchez la femme utiliza sagazmente o humor para abordar assuntos melindrosos e despertar reflexão. O resultado final é uma comédia screwball recheada de ritmo, bons gags, imenso humor, inteligência e alguns diálogos bem construídos, na qual os extremismos religiosos são satirizados, o machismo e a repressão sobre a mulher são criticados, os diversos elementos do elenco revelam um enorme acerto nos timings cómicos e os mal-entendidos assumem características que tanto têm de perigosas como de hilariantes, sobretudo quando se forma uma espécie de triângulo amoroso entre Armand (Félix Moati), Leïla (Camélia Jordana) e Mahmoud (William Lebghil).

Armand e Leïla estudam na Sciences Po, namoram, escondem o romance dos familiares e planeiam fazer um estágio nas Nações Unidas. Mahmoud esteve dez meses no Iémene, onde se tornou um fundamentalista islâmico, algo que o conduz a proibir Leïla de sair de casa sem a sua autorização e de estar com Armand. O regresso deste personagem revoluciona temporariamente o quotidiano do casal, embora o protagonista trace um plano aparentemente infalível: colocar um nicabe e fingir que é Xerazade, uma mulher que necessita da ajuda da irmã do primeiro. O resultado? Armand não só consegue reunir-se regularmente com a amada, mas também despertar inadvertidamente a atenção do irmão desta ao ponto do mesmo querer casar consigo. A casa desta família, um cenário que é aproveitado de forma exímia, torna-se assim palco de encontros furtivos e reuniões desconcertantes, enquanto Armand tenta manter o disfarce, seja a aprender os códigos de conduta ou a promover uma série de fugas que acentuam a faceta burlesca e delirante desta obra cinematográfica.

Sou Abadi entra pelos caminhos de Some Like it Hot, uma referência assumida desta estreante na realização de longas-metragens de ficção – seja quando coloca um indivíduo a apaixonar-se por um dos elementos que se veste de mulher ou na ocasião em que encontramos um personagem a utilizar o travestismo para alcançar os seus objetivos. Do filme de Billy Wilder, Cherchez la femme partilha ainda a inteligência e o cuidado com a composição dos protagonistas, enquanto desafia as convenções, subverte algumas das nossas expetativas e expõe as incoerências e o lado pernicioso dos extremismos, bem como o conservadorismo associado ao Islão. Pelo meio, não faltam uma série de gags, momentos e diálogos que captam a atenção e despertam facilmente o riso, seja pela sua faceta inesperada, pela perspicácia, pela simplicidade, ou pelo tom farsesco: uma discussão sobre aquilo que separa os sunitas e os xiitas ganha contornos divertidíssimos, enquanto um ato sério e machista como Mahmoud engolir o chip do telemóvel da irmã logo adquire uma faceta hilariante.

Temos ainda um gag a envolver a incapacidade de quase todos os personagens em tratarem Fabrice (Oscar Copp), um amigo de Mahmoud, pelo seu novo nome, ou a sequência que envolve o "treino" de Armand para parecer uma mulher dedicada ao Islão (num dos vários momentos em que o trabalho de montagem e de câmara contribuem para o dinamismo que Abadi imprime ao enredo). Félix Moati é um dos destaques do elenco, sobretudo quando apenas pode utilizar os olhos e a fala feminina de Xerazade para se expressar, enquanto Camélia Jordana imprime uma personalidade forte à personagem que interpreta, uma jovem que está longe de pretender seguir os rumos do irmão. William Lebghil parece divertir-se imenso e diverte-nos pelo caminho a compor este indivíduo que coloca em evidência a facilidade com que as ideologias extremistas podem penetrar na mente de alguém marginalizado pela sociedade, embora a entrada em cena de Xerazade comece a amolecer as convicções religiosas deste personagem.

O trio de protagonistas conta ainda com a companhia de uma série de personagens secundários de relevo, sejam os refugiados que recebem apoio do casal, ou Sinna (Carl Malapa), o irmão mais novo de Leïla e Mahmoud, ou os pais de Armand (Miki Manojlović e Anne Alvaro), um casal de intelectuais e refugiados políticos do Irão. Estes exibem uma enorme desilusão em relação ao rumo que o seu país tomou com a Revolução Iraniana, algo que leva o jovem a esconder o romance dos pais, sobretudo da mãe, uma feminista vivaz e incoerente. Abadi aproveita ao máximo as dinâmicas entre estes elementos, enquanto desenvolve a premissa do filme de forma enérgica e coloca os personagens a protagonizarem uma série de situações rocambolescas, sempre sem abdicar de abordar temas sérios e pertinentes, ou de efetuar comentários nas entrelinhas. Estamos assim diante de uma das agradáveis surpresas deste final de ano cinéfilo.


Aníbal Santiago



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos