Menu
RSS


«O Fim da Inocência» por André Gonçalves

Uma das peças mais irritantes que testemunhei no daytime TV foi precisamente, quando num canal privado, um dito psicólogo da praça se propôs a ir ver o que os adolescentes andavam a fazer "na noite". 

O Fim da Inocência não será exatamente tão gratuito e simplista quanto esse pedaço de antena, mas esperava-se melhor de um realizador, que, em tempos, se tornou umas das vozes mais curiosas do panorama pós-moderno do cinema português - precisamente por ter feito uma ponte rara entre o sucesso do público sem desprezar uma vertente de crítica social a essa mesma audiência. 

Em boa verdade, desde que parou de assinar os seus próprios argumentos, e começou a aceitar encomendas (i.e. adaptações de bestsellers nacionais), que houve um desaparecimento da personalidade mais crítica que poderíamos atribuir a Leitão. Se em "Sei Lá", adaptação do romance de Margarida Rebelo Pinto, poderíamos atribuir a culpa, ou desculparmos a produção por querer aparecer num tempo que já não existe, aqui já não há esse tipo de subterfúgios - temporais, pelo menos. O Fim da Inocência é um filme cobarde, sim - ao usar um moralismo puritano mais escandaloso que qualquer cena "polémica" ou "escaldante" que possa dizer ter para chamar espectadores, instruindo constantemente o seu público com um mapa em como reagir, não confiando nele, e perdendo consequentemente toda a sua confiança. 

E é, mais que um mero mau filme, uma oportunidade perdida. Numa típica capa aos pais que poderia ter a gorda: "vejam o que os vossos filhos andam a fazer quando não estão a ver", o que temos é um desfile de personagens bidimensionais, não tão distantes ironicamente, como as caras que as poderão interpretar, desfilando para as revistas da moda. Mas é um desfile que, pese uma péssima narração (rivalizando aqui com o já mencionado Sei Lá) e restrições de copyright risíveis (Cinder, disseram?), revela por sua vez uma empacotagem minimamente sólida e bem apertada para estes tempos pós-morangados - aqui méritos restantes ao realizador "anónimo", que ainda assim sabe como reter a nossa atenção até final, no meio de tanta superficialidade. 

Para ter um pequeno vislumbre do que poderia ter sido esta história que trata O Fim da Inocência (filme, se não o livro que o deu origem com o subtítulo "Diário Secreto de uma Adolescente Portuguesa" - não o li, não o pretendo julgar por isso), o espectador tem na mesma semana Verão Danado de Pedro Cabeleira, feito para todos, sem restrições explícitas de epilepsia, e os tiques/truques de história verídica aqui também presentes. 

 

André Gonçalves

 



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos