Menu
RSS


«Mahana» (O Patriarca) por Jorge Pereira

Depois de andar perdido e de dar vários tiros no pé durante uma década em grandes produções do cinema comercial - como A Conspiração da Aranha, 007 – Morre Noutro Dia, e XXX2: Estado Radical -, e de ter conseguido reconquistar algum prestigio no cinema independente com o seu A Dupla Pele do Diabo (2011), o neozeolandês Lee Tamahori regressa 20 anos depois às origens com este Mahana, contando com a ajuda de Temuera Morrison, protagonista do seu filme (bem recebido pela crítica) A Alma dos Guerreiros (1994).

Neste regresso às histórias do povo Maori no século XX, mais propriamente nos anos 1960, Tamahori segue três gerações de uma família, focando-se sobretudo no relacionamento hierárquico entre os membros dos Mahana e o seu patriarca, o avô (Temuera), um homem frio e calculista, mas bem menos impulsivo do que o Jake "The Muss" Heke que o ator interpretava em A Alma dos Guerreiros. O que Temuera transporta do "The Muss" para este filme é a duresa, o sentido disciplinador e irrascivel da sua personagem no contacto com todos os que estão à sua volta, incluindo os inimigos, aqui na forma de uma outra família Maori, os Poatas.


Os grandes rivais dos Mahana, os Poatas

Baseado na novela de Witi Ihimaera, Mahana é um estudo de como o seu líder/guerreiro encara a perda do poder autocrático que impõe a uma geração mais nova com suficiente "pelo na venta" para o confrontar; isto tudo numa cultura Maori já adulterada por valores ocidentais e cristãos.

Essa rebeldia – apoiada por um dos seus professores, que até cita George Bernard Shaw - vem principalmente de Simeon (Akuhata Keefe, numa interpretação marcante), o neto que questiona não só a autoridade do "seu superior hierárquico" familiar, mas também a sociedade em geral, que claramente ainda descrimina o seu povo (veja-se a cena em tribunal em que ele questiona um juiz para o facto de ninguém falar Maori, prejudicando assim a defesa de eventuais arguidos).

Com calma, paciência e acima de tudo uma visão clarividente e pouco prolixa, Tamahori articula na plenitude todos os elementos da obra original, construindo um filme bem conseguido a nível narrativo e dando-lhe um tom universal, até porque estes confrontos e choques internos e externos (família/sociedade) acontecem em todas as culturas, principalmente por questões ligadas à evolução do pensamento.

Uma nota ainda de destaque para a belíssima cinematografia de Ginny Loane, o trabalho no guarda-roupa de Liz McGregor e a exemplar direção artística de Ross McGarva e Peter Sweeney.

O melhor: O sentido universal do conflito e a forma como Tamahori o expõem sem cair em sensacionalismos
O pior: nada a apontar.


Jorge Pereira



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos