Menu
RSS


«Vor der Morgenröte» (Stefan Zweig: Adeus Europa) por Roni Nunes

O título português para este filme, na senda do internacional (Stefan Zweig – Farewell to Europe) parece tentar colmatar uma lacuna deixada pela própria obra – onde o original, literalmente “antes do amanhecer”, vira Stefan Zweig: Adeus Europa. O objetivo é estabelecer um nexo entra a trajetória do escritor com o que se passa atualmente no Velho Continente.

A realizadora alemã Maria Schrader selecionou alguns episódios da vida errante de Stefan Zweig (vivido por Josef Hader), um dos escritores mais populares do período entre guerras. Judeu, Zweig fugiu da Alemanha de Hitler nos anos 30 e viveu em permanentes deslocações – com períodos maiores de estadia no Brasil, na Argentina e nos Estados Unidos.

Schrader não está interessada em storytelling, numa biopic tradicional ou, sequer, em procurar emoção – opções que, em si, não são boas nem más. Os episódios que ela seleciona para abordar não se devem à sua relevância sentimental ou biográfica e são, na maior parte, ausentes de qualquer conflito. São cerimónias de homenagens, conferências com jornalistas, diálogos com amigos, reencontros com familiares (num destes o filme tem um raro sopro de vida graças a Barbara Sukowa): a ideia é retratar a vida interior do escritor – focando momentos-chave onde se foi criando nele o “espírito” que justificou a sua drástica (e igualmente desdramatizada) decisão final. 

O filme abre com um plano com um ramo de flores exuberantemente coloridas a tomar todo o ecrã: estes cinco segundos serão os melhores do filme – introduzindo o universo tropical para onde Zweig se deslocou com um raro aspeto de criação visual imaginativo em todo o filme. Também há a sequência final, mostrada através de um espelho. Mas isto até Murnau já fazia.

A obscura simbologia do trote dos cavalos que separa o primeiro do segundo “episódio” serve para anunciar que a mediocridade mascarada de esperteza autoral será um flagelo permanente. Para sustentar a suas opções narrativas e estilísticas, Schrader não consegue desenvencilhar-se de personagens vazias de carisma e com diálogos sem leveza ou inteligência – compondo longas sequências para oferecer a partir delas um conteúdo miserável.

Voltando ao primeiro parágrafo, o título internacional/nacional é uma fraude. Será necessário um grande exercício de imaginação do espectador para traçar a ligação que existe no ecrã com o que se passa atualmente numa Europa cuja desagregação horrorizaria o escritor – e com a vida do qual faria todo o sentido um paralelo num filme decente. Marcado pelo desperdício de um terrífico pano de fundo histórico, fica a sensação de que se convidou o espectador para um banquete e ofereceu-se-lhe restos do McDonald’s.

O Melhor: o primeiro plano, que dura cinco segundos (mais ou menos)

O Pior: a mediocridade generalizada

Roni Nunes



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos