Menu
RSS


«Les Innocentes» (Agnus Dei - As Inocentes) por Hugo Gomes

Este é o mais belo dos filmes de Anne Fontaine. Beleza essa, salientada pela fotografia de Caroline Champetier, que conjunta o brilho reluzente da neve caída com a escuridão opressiva resida nos obscuros compartimentos do convento onde esta ação decorre quase integralmente. Freiras violadas, deixadas à sua mercê com o fruto dessa agressão sexual no ventre, uma história passada nos ecos da Segunda Guerra Mundial, com o avanço soviético na Europa como percalço. 
 
Fontaine atribui neste drama histórico, nuances quanto à integridade feminina, passando por uma análise político-social de uma Polónia fustigada pela Guerra. Todo o ambiente de opressão, medo e ignorância vivido neste convento isolado, funciona como alusão dos medos interiores de uma Europa sob temor de eventuais "invasões". Sob o retrato passado, Fontaine abrevia o futuro, assim como a posição da mulher, a sua vulnerabilidade perante um ambiente hostil. 
 
Lou de Laâge (vista no fenomenal A Espera) e Agata Buzek revelam-se no ying-yang destes mundo em plena transformação ideológica, as suas posições de combate às tradições enraizadas no medo de outros tempos, esse receio pela Mão Divina de Deus que parte em castigos severos perante as obscenidades corporais, essa violação da "sagrada" virgindade, descrito nos seus livros sagrados. E quem não é mais adequada para personificar essa Ordem, esses Mandamentos prescritos, do que Agata Kulesza (Ida), a desempenhar uma intolerante Madre Superiora? 
 
Em todo o tempo que nos compele, Agnus Dei - As Inocentes nunca faz jus às complexidades das temáticas político-sociais que extrai, e tendo como especial cuidado o território religioso. Trata-se daqueles filmes emoldurados com técnica e experiência, e sustentados por desempenhos sólidos por parte do seu elenco. Já agora, vale a pena salientar o papel mais sério do ator Vincent Macaigne, para mostrar que o homem serve muito mais do que preencher o estereótipo de "loser" quarentão, que muita comédia francesa recorre. Resumindo e concluindo, eis o melhor filme da carreira de Anne Fontaine.   
 
297
Hugo Gomes
 


Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos