Menu
RSS


«Cézanne et moi» (Cézanne e Eu) por Roni Nunes

cezanne-et-moi.jpg - h 2016

Retratar a relação de amizade entre dois artistas do século XIX é um projeto de alta periculosidade e o que a realizadora Danièle Thompson tentou para afugentar o fantasma do academicismo de séculos de “dramas históricos” no cinema foi utilizar uma montagem de teledisco e uma narrativa não (muito) linear. No final da equação dois e dois não somaram quatro, mas Cézanne e Eu tem os seus momentos.

Paul Cézanne (vivido por Guillaume Gallienne) foi um típico herói maldito do ideal do Romantismo – movimento do início do século XIX cujo vasto guarda-chuva filosófico/comportamental estendeu-se pelo século XX a dentro. Rico, com um pai tradicional, abandona tudo em nome da arte. E, claro, foi recusado durante muitos anos pelo “Salão de Paris” e só no final da vida recebeu interesse mercantil pelos seus quadros.

Émile Zola (Guillaume Canet) experimentou uma trajetória diferente: vindo de família humilde, teve a sorte dos seus escritos, inseridos no realismo francês do final do século, caírem no gosto popular. O que significou uma vida de conforto com os mesmos burgueses que Cézanne desprezava. Apesar disto, entre altos e baixos, a amizade entre ambos sobreviveu à passagem do tempo.

Thompson entende que fragmentar é o oposto de entediar e o mesmo conceito que guia a montagem foi aplicado à narrativa. É notória a falta de convicção e o uso de clichés (que os harpejos hollywoodianos da banda sonora não ajudam a ludibriar) com que introduz com a velocidade de um TGV o desenvolvimento da amizade entre os dois.

A partir daí a coisa melhora, mas uma vez que este interminável vai-e-vem cronológico não serve em termos dramáticos, o filme vira uma colcha de episódios – onde os diálogos e dramas pontuais sofrem a omnipresente ameaça de vergarem sob o peso de carregar nas costas um filme sem propósito visível.

Depositando boa-fé na esperança de que não tenha sido concebido como um candidato a Cesares, Cézanne e Eu é um filme que não perturba ninguém mas, em se tratando de um retrato de artistas, reside aí o seu problema. Por vezes ensombrado pelo filisteísmo pós-moderno, tem um crédito final de cunho pedagógico que de forma alguma lhe surge como um corpo estranho.

O Melhor: quem nunca ouvir falar de Paul Cézanne e Émile Zola pode aprender alguma coisa

O Pior: falta acutilância

Roni Nunes



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos