Menu
RSS


«Théo et Hugo dans le même bateau» por André Gonçalves

photo hd 091

Foi ainda a pensar no belíssimo filme chileno da sessão anterior, que se partiu para a sessão da noite convencido que dificilmente se poderia ver algo melhor, para terminar o visionamento a engolir as próprias palavras. 

Se "Rara" representa um excelente exemplo da última geração do cinema "queer" (novas narrativas sobre a parentalidade), "Théo et Hugo dans le même bateau" representa até ver o exemplo máximo da narrativa "pós-sida", onde a profilaxia pós-exposição é felizmente uma realidade à distância de uma ida a um serviço de urgência.  

"Théo et Hugo dans le même bateau" começa, para quem não está habituado a ver sexo bem filmado no grande ecrã, de uma forma bem desconfortável. Uma sequência de fazer inveja às sessões "hard", acrescente-se, pela realização que nos faz "voyeurs" privilegiados daquele espaço. Às 4 horas e 27 minutos, um cliente conduz-nos à cave do clube de sexo "L'Impact", onde ao longo de 20 minutos extasiantes, por entre orgias, e mirones à procura da sua oportunidade, o espectador conhece os dois protagonistas, claramente definidos por um plano celestial. Um plano que pretende não só mostrar o seu estatuto especial de serem o objeto central do filme, como especificar aquele momento onde o lugar errado dá lugar a um momento certo, onde o amor acontece. Se será passageiro ou não, não saberemos, porque o filme vai acompanhar estas duas personagens numa dinâmica em tempo real ao longo da hora e meia seguinte. A revelação de que o sexo foi desprotegido, e um dos elementos é seropositivo desencadeia os acontecimentos seguintes, baralha sentimentos, e põe-nos no centro de uma Paris desconhecida dos filmes, a Paris das bicicletas, dos serviços de urgência nocturnos, dos kebabs, do primeiro metropolitano.  

A dupla de cineastas Olivier Ducaster e Jacques Martineau consegue assim também com que nos apaixonemos perdidamente pelo filme, tal como as suas duas personagens, encontradas ao acaso, e unidas pelo acidente de uma vez, se vêem atraídas uma pela outra, por conversas mais ou menos profundas, mas como se todo o tempo fosse importante. Uma dinâmica de conversas românticas em tempo real que neste novo século teve o apogeu com "Antes do Anoitecer", de Richard Linklater, e que aqui encontra um sucessor à altura. Os praticamente estreantes Geoffrey Couet e François Nambot nunca acusam o fardo de carregar o filme às costas, a meias com a dupla de argumentistas e realizadores Ducaster e Martineau. 

O resultado final merece assim transpor a barreira do Festival, pois temos seguramente aqui um filme absolutamente essencial e que merece ser descoberto para quem conseguir suportar o primeiro troço do filme (da mesma forma que nós temos que "suportar" o sexo explícito heterossexual), a um nível tanto cinematográfico como de literacia para a saúde pública. 

O melhor: As personagens, o aproveitamento cinematográfico do tempo, enquanto mostra uma Paris desconhecida, estranha ("queer"), apaixonante. 

O pior: nada a assinalar 

André Gonçalves



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos