Menu
RSS


«Ce Sentiment de l’Eté» por João Miranda

A morte de alguém querido é sempre uma experiência traumática cujas ondas ecoam ao longo dos anos. Quando Sasha, com apenas 30 anos, morre subitamente no verão, este vai adquirir para o namorado e para a família contornos nostálgicos. Em “Ce Sentiment de l’Eté”, Mikhaël Hers mostra-nos em alguns verões como essa perda é sentida e como, apesar de tudo e sem detrimento para com o sentimento que tínhamos para com a pessoa, se vai alterando.

Este é o terceiro filme do realizador no Indielisboa, depois de “Primrose Hill” em 2008 e de “Memory Lane” em 2011, e consegue ver-se também neste filme o que parece ser a sua assinatura: a forma como procura filmar a nostalgia sem ser melodramático e o ritmo calmo com que a narrativa se desenrola. Num horizonte cultural em que os filmes se caracterizam pelo ritmo acelerado (com explosões e violência à mistura) ou pelo dramatismo em que caem (muitos vezes de forma histriónica), um filme assim, que nos mostra mais do que nos conta e que recusa o sentimentalismo ou frisson baratos, é sempre bem-vindo.

Outro ponto forte do filme é a forma como trata as amizades sem as tornar em interesses românticos. Parece um ponto estúpido de apontar, mas podem contar-se pelos dedos as amizades intersexuais que, eventualmente, não resultem em sucessos ou fracassos amorosos. Poder ver pessoas a relacionarem-se umas com as outras sem sentir o peso da relação amorosa iminente é refrescante. Ainda que não consiga fugir à heteronormatividade, o não procurar definir a sexualidade de todas as pessoas torna-o mais flexível do que muitos outros.

Se há algo de que se possa acusar este filme é do seu privilégio: todas as pessoas que vemos fazem parte de um cosmopolitanismo internacional, não parecendo sofrer com dificuldades financeiras de maior. Um vê a sua carreira de escritor a ser apropriada pela de tradutor e outra vê-se obrigada a trabalhar num hotel à noite, mas isso não os impede de viajar e viver noutros países sem dificuldades óbvias. Mas isso não reduz o filme, permitindo-lhe focar-se nas emoções que pretende retratar.

 

O Melhor: A nostalgia; o ritmo.

O Pior: Anders Danielsen Lie.

João Miranda



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos