Menu
RSS


«The Boy and The Beast» (O Rapaz e o Monstro) por João Miranda

Ren é um miúdo de 9 anos que foge de casa depois da morte da sua mãe. Nas ruas de Tóquio é abordado por duas criaturas que procuram um pupilo para uma delas. É o monstro do título à procura de um pupilo para tentar tornar-se digno de se tornar senhor dos monstros. Apesar da relação mestre-pupilo, ambos vão aprender muito um com o outro e crescer, tanto pelos treinos, como pelas situações em que se vão encontrar. Esta é a base de O Rapaz e o Monstro, realizado por Mamoru Hosoda, que nos trouxe antes The Girl who Leapt through Time e Summer Wars (http://www.c7nema.net/evento/item/38058-criticas-do-indielisboa-summer-wars-por-joao-miranda.html). Tal como esses dois filmes, este também é irreprensível a nível da animação, ambicioso a nível do que pretende fazer e, no final, incompleto e com falhas.

Com uma estrutura tripartida, O Rapaz e o Monstro apresenta-nos de forma esquemática as suas personagens (principais e secundárias), deixando várias perguntas por responder. A coerência, quer de ritmo, quer de estilo, entre as diferentes partes também deixa a desejar, quase parecendo que se trata de filmes diferentes. Mas esses detalhes não fazem com que seja um mau filme. Ambicioso no que se propõe, explora temas que vão desde o que é ser humano, a masculinidade, as relações e os conflitos interpessoais, até à Filosofia e o que é ser forte. Sim, podemos acusá-lo de ter um foco bélico, mas são as relações e a filosofia que o mantêm. Se no final se perde um bocado num conflito (absolutamente espectacular) com uma personagem secundária que ganha protagonismo bastante tarde, é também nessa parte que Hosoda se concentra na componente emocional e na necessidade das outras pessoas.

No meio de tantos filmes cheios de heróis individualistas com noções de força limitadas ao físico ou à capacidade bélica, O Rapaz e o Monstro consegue atrair esse público e apresentar-lhe valores diferentes numa capa semelhante. Imperfeito, sim, mas muito interessante.

O Melhor: Os valores; a animação.
O Pior: As pontas soltas; o foco no conflito.


João Miranda

 

 



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos