Menu
RSS


«The Yard» (Yarden) por Roni Nunes

O ponto mais baixo da vida de um intelectual que um dia acreditou ser artista é um dia fazer uma sessão de poesia para um público de seis mulheres de meia-idade que foram ali parar por acaso e não demonstram qualquer interesse na sua leitura hesitante de poemas. O protagonista sem nome (vivido por Anders Mossling) percebe o sinal e aceita-o: depois de ver que a "poesia moderna" (muito difícil de vender, diz-lhe um editor) não o levou a lado nenhum, ele atira-se estoicamente a um trabalho de fábrica, cuja desumanização é simbolizada pelo parque com milhares de carros iguais que dá nome ao filme e pelo facto das personagens não terem nomes – mas antes os números de empregado.

A personagem central carrega a sina do fracasso, estampado no diálogo que tem com o filho adolescente (a figura materna está ausente) onde este lhe diz, dianta da penúria progressiva, que ele "escreve livros que ninguém lê e nem um emprego para imigrantes consegue manter".

Por falar em trabalho de fábrica, o filme do sueco Mans Mansson peca por isso mesmo, fazendo com eficácia aquilo que se propõe na senda de uma forte tendência do cinema europeu atual mas sem apresentar grande imaginação (ainda que existam duas ou três soluções visuais interessantes). A ideia é convincente – a execução peca por falta de maiores voos de emoção ou inventividade.

Sinal dos tempos, é curioso relacionar a abordagem com, por exemplo, de Tempos Modernos, onde Charles Chaplin tratava da robotização dos seres humanos nas fábricas cheio de esperança. Yarden apresenta uma sociedade sem hipóteses e condenada a desfazer-se nas cinzas do seu próprio caminho.

O Melhor: o filme é eficiente naquilo que se propõe
O Pior: faltam maiores rasgos de emoção ou inventividade


Roni Nunes



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos