Menu
RSS


«Montanha» por Duarte Mata

O tempo dirá se João Salaviza se afastará da adolescência que tanto o encanta para partir em torno de voos mais altos do que a sua primeira - e muito aguardada - longa-metragem, Montanha. Todo o filme é uma construção essencialmente pictórica do que parece ser a raiva e a alienação de um "rebelde sem causa", David, que, por não estar preparado nem para o amor, nem para a morte na sua vida, terá de escalar o mais duro dos obstáculos: ele próprio. Salaviza transmite essa prisão com os cenários pouco iluminados e onde predominam as formas verticais (a imponência da cidade, representada por janelas, árvores e arranha-céus) em contraste com as horizontais das personagens (por isso, tantas vezes se deitam os corpos, em posição fetal).

Mas os contrastes não são só paisagísticos. Contam-se pelos dedos das mãos o número de movimentos de câmara usados. Salaviza é um pouco como Manoel de Oliveira onde, por se fiar tanto no plano fixo, ao construir o mínimo movimento, este vê-se tornado em algo maior, em termos cinematográficos. Assim, uma panorâmica é também uma reviravolta no enredo, que tanto pode esconder um beijo como revelar uma traição; e o travelling é justamente o que demonstra a "fuga sem fim" em que corre o protagonista (sim, já se falou em James Dean e agora em River Phoenix, mas é ecoando as personagens desses dois atores que se parece dar forma à de David Mourato, talvez o Antoine Doinel português).

Não é preciso muito para ver que a "trilogia acidental" (assim chamada pelo próprio realizador e constituída por Arena, Cerro Negro e Rafa) do jovem cineasta português ganhou um novo capítulo, repetindo não só atores (Carloto Cotta, de Arena) como também personagens dos anteriores (Rafa, interpretado por Rodrigo Perdigão, do filme homónimo). Mas é também esse o principal problema de Montanha: a repetição, como se cada cena tivesse o propósito de piorar a tese derrotista já conhecida nas curtas-metragens, o que cria a impressão de que não há conteúdo suficiente para uma longa-metragem, mas sim para uma curta - e bastante boa - que insiste em se arrastar na penumbra com que começa e termina. Porque não, Montanha não caminha em direcção à luz. Antes constrói a sua casa no meio das trevas.

O melhor: A forma como Salaviza encadeia as personagens nos ambientes exteriores, verdadeiramente bem seleccionados.
O pior: Alguma falta de conteúdo para uma longa-metragem.


Duarte Mata

 



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos