Menu
RSS


«Talvez Deserto Talvez Universo» por João Miranda

Documentar realidades que nos são remotas e estranhas é sempre um exercício complicado. Tentar evitar posições de julgamento ou tendenciosas e mostrá-las de forma honesta e sem sensacionalismos, ao mesmo tempo que se sabe o impacto que uma câmera e a nossa subjectividade têm, exige um acto de malabarismo que muitos tentaram e falharam. Talvez Deserto Talvez Universo foca-se numa instituição destinada a lidar com realidades desse tipo, no quotidiano e na humanidade destas. Se evito nomeá-las é porque o filme faz o mesmo: só a mais de metade percebemos realmente o que estamos a ver. E é importante fazê-lo porque, assim, consegue que os espectadores não tragam consigo as expectativas do que pensam poder encontrar num sítio assim.

Se esta estrutura é uma das suas forças, o filme tem também algumas fraquezas. A primeira é a forma como filma a instituição como sendo pouco mais do que o local físico. Percebe-se que a escolha é a de se focar nas pessoas que se encontram dentro da instituição, mas há vários planos cujo papel se parece reduzir ao formal, concentrando-se na arquitectura e na própria imagem captada. O que nos leva ao segundo ponto problemático: a escolha de filmar a preto-e-branco. Há também nesta escolha uma redução do trabalho efectuado pelas pessoas na instituição e a procura de estetizar uma realidade que, já de si, nos é alheia.

Talvez Deserto Talvez Universo poderia ser mais completo e mais honesto se tivesse evitado estas duas armadilhas formais que, aposto, devem ter parecido mínimas na sua produção, mas não são estes os pontos que o tornam num mau filme. O esforço e o cuidado óbvios na filmagem transparecem no produto final e, mesmo com esses problemas, tornam-no num documentário sensível e interessante, talvez até um acordar de consciências sobre um assunto que, não só habitualmente nos passa ao lado, mas que aparece mesmo como os limites dos mapas antigos, povoados por monstros e criaturas assustadoras.

O Melhor: A estrutura.
O Pior: As escolhas formais.


João Miranda



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos