Menu
RSS


«Still The Water» (A Quietude da Água) por Duarte Mata

Comecemos por falar da mais recente longa-metragem de Naomi Kawase, A Quietude da Água, como contendo algumas das imagens mais belas que, até agora, vimos este ano em tela. Embora a sua intriga não seja a maior das aptidões (por vezes reflexiva, por outras forçosamente sentimental), é a forma como esta encaixa no estado turbulento da Natureza (tufões, marés altas, o filme é um enorme aquário que temos medo que rebente) que torna este trabalho tão chamativo e isolado, como a pequena ilha onde a acção decorre.

Com uma forte componente autobiográfica - foi feito pouco tempo depois da morte da mãe adoptiva da realizadora - contém por isso um dos maiores temas do cinema nipónico: a família. Há uma juventude à descoberta do sexo e da morte (lembramo-nos, por isso, de A Brighter Summer Day de Yang), pela personagem de uma adolescente filha de uma xamã, e a irrequietude e incompreensão por um rapaz, fortemente afectado pelo divórcio dos seus pais. Ainda na análise dessas duas descobertas, Kawase define-os como opostos na sua narrativa que tenta a custo unir num só elemento (a água), o que só consegue no final, raro, íntimo e profundo. Pedantismo? De maneira nenhuma, a cineasta sabe lidar com as vicissitudes do seu cinema de autor, sobrepondo uma veia carismática e artística de alta sensibilidade que o torna maioritariamente credível na sua intenção.

Ainda há outros apanágios, dignos de serem notados: A morte de uma das personagens secundárias, com danças e canções ao seu redor, ao invés de murmúrios e lamentações; longos travellings a acompanharem viagens duras de bicicleta; a degolação autêntica de duas cabras. Tal como em O País das Maravilhas recentemente estreado, há aqui uma busca ontológica no elo Homem-Natureza. E depois... Depois há Tóquio numa curta cena filmada com a mesma paixão que havíamos visto em Like Someone In Love de Kiarostami. Um filme que, tal como este, tem um olhar sábio e sensato sobre a geração mais nova, através do carácter de um pequeno idoso. Mesmo com as suas imperfeições, A Quietude da Água é bem sucedido no que se compromete: uma vaga fria e maternal na cabeça do espectador que a contempla.

O melhor: As imagens da Natureza.
O pior: Duração ligeiramente excessiva, muito sustentada por uma câmara tremida que nem sempre é bem-vinda.


Duarte Mata 

 



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos