Menu
RSS

 



«Bridesmaids» (A Melhor Despedida de Solteiro) por Pedro Quedas

bridesmaids-movie-poster.jpg

Há um momento crucial em ‘Bridesmaids’  (A Melhor Despedida de Solteiro), que nos permite perceber que esta se trata de uma comédia especial. Numa refinada loja de vestidos, a noiva e as suas respectivas damas de honor estão vestidas a rigor quando algo de estranho começa a acontecer. Parece que a comida que tinham provado no almoço umas horas antes não estava nas melhores condições. Lentamente, todas começam a suar, a agarrarem-se à barriga e... vamos dizer, a manifestar exteriormente a sua indisposição intestinal.

No meio de todo este caos, Annie (Kristen Wiig), a suar por todos os poros, recusa-se a ceder, recusa-se a mostrar fraqueza, a aceitar que foi responsável por uma intoxicação alimentar. É que Annie é a melhor amiga da noiva (Maya Rudolph), é a responsável pela despedida de solteira, e sabe que qualquer deslize abre a porta para a entrada da nova amiga da noiva, Helen (Rose Byrne), que quer tomar o controlo das festividades.

‘Bridesmaids’  (A Melhor Despedida de Solteiro) é como 'A Ressaca' com mulheres, mas em melhor.      

Toda esta cena é desenhada como uma coreografia sublime de um humor simultaneamente vulgar e subtil. Escrito por Kristen Wiig e Annie Mumolo e produzido por Judd Apatow, ‘Bridesmaids’ é como “A Ressaca” com mulheres, mas em melhor. É uma comédia hilariante e cheia de cenas memoráveis, mas que nunca esquece que o melhor humor nasce quando sentimos empatia pelas personagens.

‘Bridesmaids’ é um filme de mulheres inteligentes e genuínas. Desde a neurótica Annie à perfeccionista Helen, as mulheres que povoam este filme são fascinantes e complexas. Esta é uma comédia romântica que não reduz toda a população feminina a meros estereótipos numa eterna demanda pelo homem perfeito. É um filme de amizades profundas, rivalidades deliciosas e, ok, mais que a dose normal de vómito.

O Melhor: As mulheres. Inteligentes, únicas, com algo mais para fazer que a eterna procura pelo homem perfeito.
O Pior: Nem todos os ‘gags’ resultam da mesma forma, mas essa é a consequência natural de uma comédia sem medo de arriscar.
 

 
 Pedro Quedas
 


Deixe um comentário

voltar ao topo

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos