Menu
RSS


Retrospetiva Abel Ferrara: Capulettos em Chinatown («China Girl», 1987)

Se Nova Iorque é uma personagem central do cinema de Abel Ferrara, a multirracialidade teria de o ser também – por extensão. Os cerca de 30 planos sob os créditos iniciais de “China Girl” definem o filme. O primeiro é fixo: um arranjo de flores e frutas em volta de uma santa padroeira qualquer, mais duas bandeiras dos Estados Unidos. Duas noções que se revelarão falhas ao longo do filme: a do sentido de pátria e a de comunidade religiosa.

A partir daí inicia-se uma narrativa visual de histórias intercaladas: fachadas de velhos restaurantes italianos de um lado da rua (um deles chama-se Ferrara, atribuindo um irónico traço de identificação pessoal), chineses que se movimentam no outro. Um oriental passa com uma enorme placa – estabelecendo uma espécie de barreira entre dois mundos; enquanto o reclame de um tradicional restaurante italiano é substituídas por um novo (“Canton Garden”), os habitantes antigos são apanhados em closes que, entre o perplexo, o triste, o abananado, assistem a instalação dos “intrusos”. Termina com um plano aproximado de um dos protagonistas, Alby (James Russo): olhar de desprezo. Fade-out: a guerra está anunciada.

Estabelecidos os elementos, é partir para a ação. Em termos de duração de planos e sequências (em que pese a longo trecho na discoteca), esse é um dos mais acessíveis do realizador. Essencialmente, vai tratar de uma disputa territorial onde permanentemente estarão em diálogo a modernidade paradoxalmente expressa nos acordos de comércio e não-agressão entre velhos mafiosos de ambos os grupos e a tradição, presente na violência primitiva e xenófoba dos jovens.

Assim, em plena Nova Iorque do final do século XX tem-se o arquétipo de um conflito shakespeariano – já que, nem perdidos nem achados no meio da confusão, os jovens Tony (Richard Panebianco) e Tye (Sari Chang) decidem se apaixonar. Ela vítima do patriarcalismo/machista, um tema recorrente do cineasta; ele preso aos laços de solidariedade tribal com os “seus”. Os filmes de Ferrara são sobre brutamontes: essa rara love story vai beneficiar de algum tipo de condescendência?



Deixe um comentário

voltar ao topo

Atenção! Este website usa Cookies.

Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Entendi

Os Cookies

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visitam o nosso website. Os cookies são pequenos ficheiros de texto que um site, quando visitado, coloca no computador do utilizador ou no seu dispositivo móvel, através do navegador de internet (browser). 

Você tem o poder de desligar os seus cookies, nas configurações do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas AntiVirus. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites.

 Tipo de cookies que poderás encontrar no c7nema?

Cookies estritamente necessários : Permitem que navegue no website e utilize as suas aplicações, bem como aceder a eventuais áreas seguras do website. Sem estes cookies, alguns serviços que pretende podem não ser prestados.

Cookies analíticos (exemplo: contagem de visitantes e que páginas preferem): São utilizados anonimamente para efeitos de criação e análise de estatísticas, no sentido de melhorar o funcionamento do website.

Cookies funcionais

Guardam as preferências do utilizador relativamente à utilização do site, de forma que não seja necessário voltar a configurar o website cada vez que o visita.

Cookies de terceiros

Medem o sucesso de aplicações e a eficácia da publicidade de terceiros. Podem também ser utilizados no sentido de personalizar widgets com dados do utilizador.

Cookies de publicidade

Direcionam a publicidade em função dos interesses de cada utilizador. Limitam a quantidade de vezes que vê o anúncio, ajudando a medir a eficácia da publicidade e o sucesso da organização do website.

Para mais detalhes visite http://www.allaboutcookies.org/

Secções

Quem Somos

Segue-nos

Contactos