Logo
 Imprimir esta página

Os Produtores - Ep 1: Em nome do Pai, da Terra, do Sol e do Mar

 

Produtor- Ora viva, é bom ver que o senhor é pontual.

Realizador- Eu não brinco quando estou a trabalhar.

Produtor- Muito bem, diga-me ent-..

Realizador- Esta cadeira está-me a fazer mal à coluna, não a sinto direita.

Produtor- Bem, eu podia trocar mas elas vieram do mesmo sít-..

Realizador- Eu acho que é do ângulo. Posso ir para esse lado?

Produtor- Eu não estou a ver como é que isso muda o que seja, sinto até uma falta de resp-..

Realizador- Eu acredito muito que isto irá mudar a qualidade do meu pitch.

Produtor-.. está bem, não queremos que..

Realizador- Óptimo

O realizador troca de posição com o produtor

Produtor- Bem, vamos lá então ouvir o que propõe.

Realizador- Ah, sim. Bem, eu trouxe-o até aqui para lhe falar do meu próximo épico. Pretendo fazer um filme de guerra.

Produtor- Muito bem, muito bem. Os filmes de guerra são sempre bem recebidos nos Óscars e este ano não há muitos. Se tomarmos conta de Novembro..

Realizador- Este vai sair em julho.

Produtor- Em julho? Mas julho é Marvel!

Realizador- Eu experimentei lançar o 2001: A Space Odissey em novembro e foi um desastre, por isso volto para julho que é o meu mês da sorte.

Produtor- Bem, um filme de guerra é sempre um grande investimento. Nós temos o estúdio de chroma key livre nos próximos meses por isso temos que lhe saber dar uso.

Realizador- Panos e Naprons é para velhinhas. Eu quero filmar tudo no local e com todos os efeitos realistas.

Produtor- Mas isso não é mais arriscado?

Realizador- Não se preocupe, vamos usar o CGI quando não houver outra solução.

Produtor- Como por exemplo?

Realizador- O logótipo da companhia no início, por exemplo. Mas eu já estou a construí-lo em Lego por isso para o próximo filme também nos livramos disso.

Produtor- Se houver um próximo filme. Bom, a América gosta de filmes de guerra, por isso talvez seja..

Realizador- Eu quero contar uma história britânica com franceses à mistura.

Produtor- Aí valha-me Deus.

Realizador- Estou aqui.

Produtor- Talvez resulte se os britânicos forem os heróis.

Realizador- Os britânicos perdem e são ajudados pelos franceses a fugirem até ao final.

Produtor- Bom, eu vou-lhe explicar o conceito de boxoffice...

Realizador- Vai-se passar tudo numa praia.

Produtor- Normandia?

Realizador- Eu estava a pensar em filmar as cenas do mar na praia de Santa Cruz para aproveitar o realismo e as cenas de violência na areia filmávamos ao longo da linha de Cascais. Com sorte nem precisamos de levar armas.

Produtor- Então e como levamos os tanques para lá?

Realizador- Não há tanques para ninguém.

Produtor- Submarinos?

Realizador- Há um torpedo mas isso podemos usar o trial do Maya e depois arrastamos a layer na diagonal num software qualquer do Baixaki que eu vi um tutorial de um gajo a fazer umas coisas maradas. Enfim, miúdos.

Produtor- Mas então estamos a falar de um filme de guerra como o Saving Private Ryan, Big Red One, Apocalypse Now, The Thin Red Line,... Three Kings....

Realizador- Sim.

Produtor- Sim?

Realizador- Pois.

 Produtor- Sim em que sentido?

Realizador- Vai ser um filme de guerra, sim.

Produtor-...bem, costuma trabalhar com um elenco de invejar. Eu estava a pensar, o Dane Dehaan quando bem apertado até conse-..

Realizador- Eu quero aquele rapaz dos Tokyo Hotel, o Harry Styles.

Produtor- o Harry Styles é dos One Direction.

Realizador- Pois, não sei. Isto não é bem um filme de guerra...

Produtor- Pois já percebi

Realizador- ... é um thriller onde se sofre muito até ao final, e achei que a melhor forma seria relembrar às pessoas da imagem do Simon Cowell.

Produtor- Se calhar é bom reforçar a música. Não me importo em apostar mais aqui. Talvez propondo ao Michael Giacchino..

Realizador- Eu tenho um amigo alemão que me faz isso a preço de amigo. Ele comprou agora umas guitarras e anda todo entusiasmado.

Produtor- Guitarras? Mas o filme é para ser levado a sério?

Realizador- Descanse que haverá ao início uma cena em que ele vai recriar a própria frustração sexual em violino. Vai ser muito complexo.

Produtor- A música ou a frustração?

Realizador- Claro que o problema aqui é o público.

Produtor- Sim, eu não sei se isto vai interessar alguém.

Realizador- Não vendem como o Correio da Manhã por isso só falam mal de mim para vender jornais.

Produtor- É assim: eu só vejo isto a resultar se fizermos um projeto simples. Temos uma praia, certo? Então, focamo-nos no desespero dos soldados a tentarem fugir e sobreviver. Acho que tem potencial para ser um filme intenso.

Realizador- Eu quero contar a visão dos soldados na praia, a visão dos barcos de salvação no mar e a visão dos caças no ar.

Produtor- Porquê os caças?

Realizador- Eu preciso do Tom Hardy a actuar só com os olhos.

Produtor- Mas vai causar algum impacto? O mar ainda percebo, agora onde está a relevância dos aviões? Não é suficiente ter os soldados e os barcos?

Realizador- Não está a entender a minha visão: eu vou pôr câmaras IMAX nas asas-

Produtor- Mas-

Realizador - ouça! - E vamos filmar uma luta de aviões a sério.

Produtor- Pronto, mas no que é que isso contribui para a história?

Realizador- O Netflix está a matar o cinema!

Produtor- Mas o que tem isso a ver com a história?

Realizador- Filmar em filme proporciona uma qualidade que não se consegue em digital.

Produtor- Pronto, está bem. Contamos a história de soldados a sobreviverem, barcos ao resgate dos soldados e aviões... a voarem. Ainda é possível fazer disto algo simples de estrutura mas intenso.

Realizador- Exacto, o que nos leva à estrutura.

Produtor- Três perspetivas diferentes, estou a perceber a ideia.

Realizador- Três perspetivas diferentes com cronologias diferentes

Produtor-...

Realizador- Sendo que na praia passa-se durante uma semana, no mar durante um dia e no ar durante uma hora.

Produtor-... isto é a sér-...

Realizador- E não se misturam, excepto quando se misturam, mas depois deixam de se misturar.

Produtor- Ok, chega. Vamos fazer este filme, desde que me responda da forma mais honesta possível: Porquê? Porquê encher chouriços e não contar uma história simples de sobrevivência?

Realizador- Porque assim é um filme mais complexo e que faz pensar. Vai ser impressionante.

Produtor- Impressionante seria contar a história do principio ao fim sem distrações.

Realizador- Eu já vi filmes do Robert Bresson na escola.

Produtor- Eu nem estou a ver como é que vamos safar isto em marketing, não tem ponta por onde se lhe pegue.

Realizador- Eu para o poster já tenho pensado em meter um gajo de costas a olhar para o que tem de enfrentar. Gostava de experimentar algo assim.

Produtor- Como é que tem conseguido vender estas ideias a produtores?

Realizador- Peço sempre à Emma Thomas

Produtor- Quem é a Emm-..

Realizador- É a minha mulher.

Produtor- Ora bem.

Realizador- Sinto que esta cadeira não está alta o suficiente. O seu olhar está ao nível do meu. Isto não dá para subir mais?

Produtor- Eu peço desculpa mas eu não vou fazer este filme consigo.

Realizador- Então mas porquê?

Produtor- Eu pensei no dinheiro que os outros filmes fizeram e no quão impressionante é a quantidade de sexo oral que o senhor obtém de toda a gente mas acho que isto não é um projeto para mim.

Realizador- Muito bem. Sendo assim vou à Paramount.

Produtor- Vai a onde?

Realizador- À Paramount. Eles andam sedentos por isto.

Produtor-  Deixe-me lá ler melhor o guião.

 

QUEM FEZ A TRILOGIA THE DARK KNIGHT, FOI ELE!



Copyright © 1999-2017 C7nema. Todos os direitos reservados/All rights reserved.